Menu fechado

Pilates na Dor Cervical – Saiba Tudo Aqui

dores na cervical, faça pilates com Camilo Junior

Nesse artigo vamos descrever o Pilates na dor cervical, as característica, suas complicações e tudo que está relacionado a cervicalgia.

Dor cervical é caracterizada por dor e movimento limitado, de pequenos desconfortos a dor grave e incapacitante.

Esta condição causa redução na qualidade de vida, levando a dependência, mudanças emocionais e dificuldades trabalho.

Aproximadamente 14 a 71% dos adultos apresentar um episódio de dor no pescoço em algum momento sua vida, com prevalência anual variando de 16 a 75% [6] e uma taxa de recorrência de 75% nas seguintes cinco anos.

Segundo Ferreira et al., em um estudo realizado com 972 brasileiros de 20 a 69 anos, 24% dos indivíduos apresentaram dor cervical pelo menos uma vez no último ano, com prevalência de dor crônica em 18,9% e dor aguda em 34,1%.

Resultados semelhantes são observado em outros países. Por exemplo, em um estudo finlandês, observou-se dor cervical crônica em 13,5% de mulheres e 9,5% dos homens, e em um norueguês, 13,8% dos participantes referiram dor com duração superior a seis meses, enquanto em indivíduos aos 43 anos, essa taxa subiu para 20%.

Atualmente, vários tipos de intervenções vem sendo realizadas com o objetivo de reduzir a dor no pescoço, da fisioterapia convencional ao exercícios mais específicos, entre eles a Método de Pilates.

Pilates na dor cervical pode ser considerado como um alternativa para melhorar a flexibilidade, coordenação motora, força muscular e estabilidade, bem como alinhamento, que são fatores essenciais para a funcionalidade e reeducação em geral.

Além disso, exercícios de fortalecimento e resistência, específico para o cervical e escapulotorácica e ombro, foram destacados como uma parte benéfica a rotina de intervenção de pacientes com dor na cervical (crônico), apresentando níveis moderados de evidência.

Pilates na Dor Cervical

O método Pilates compreende a realização de ativações musculares globais em seu repertório de
exercícios, embora seja possível isolar músculos, concentrar e priorizar regiões de interesse de acordo com a apresentou patologia e pode, assim, ser recomendada para intervenções em indivíduos com dor cervical.

Um estudo brasileiro realizou uma revisão sistemática a fim de verificar o pilates na dor cervical, vejamos abaixo:

Foram encontrados 73 estudos, desses 61 foram para triagem e apenas dois passaram pelos critérios de elegibilidade e foram inclusos.

Em relação ao tipo de intervenção, Dunleavy et al. adotaram exercícios solo de Pilates orientados por
fisioterapeutas treinados no método, enfocando a estabilização, mobilização e fortalecimento dos
extensores da coluna vertebral, com maior foco na cintura escapular, nas aulas realizadas com grupos
composto por quatro a oito indivíduos.

Este protocolo foi semelhante ao adotado no estudo realizado por Mallin & Murphy, com indivíduos com dor a cervical, embora esses autores tenham priorizado a cintura pélvica em sua abordagem. No entanto, não está claro o que protocolo de exercício foi adotado no estudo realizado por Cazotti et al.

A diminuição da dor com o Pilates foi unânime nos estudos incluídos. No estudo realizado por Dunleavy et al. dores causadas por tarefas sustentadas diminuiu a partir do 6ª semana de intervenção e
remissão após 12 semanas nos grupos submetidos à intervenção.

Enquanto isso, a dor média no grupo Pilates foi menor na 12ª semana em comparação com o sexto, e o mesmo quando comparado para o grupo controle, com o Pilates exibindo efeito significativo.

Cazotti et al. também observaram melhora significativa da dor, entretanto, eles não deixaram claro a partir de que semana. Os resultados estão de acordo com o que foi observado em outras revisões sistemáticas da literatura, demonstrar os benefícios das terapias com exercícios a diminuição e remissão da dor.

Com base no exposto, apesar do pequeno número de estudos realizados para investigar os efeitos do
Pilates na dor cervical, enfatizamos que, há evidência moderada para apoiar a indicação e prática de exercícios de Pilates na dor cervical por indivíduos com dor cervical crônica, uma vez que esse método promove melhora funcional após um curto período de tempo.

Referências

1 – Dunleavy K, Kava K, Goldberg A, Malek MH, Talley SA, Tutag-Lehr V, et al. Comparative effectiveness of Pilates and yoga group exercise interventions for chronic mechanical neck pain: quasi-randomised parallel controlled study. Physiotherapy. 2016;102(3):236-42.

2 – Cohen SP. Epidemiology, diagnosis, and treatment of neck pain. Mayo Clini Proc. 2015;90(2):284-99.

3 – Herrington L, Davies R. The influence of Pilates training on the ability to contract the transversus abdominus muscle in asymptomatic individuals. J Bodyw Mov Ther. 2005;9(1):52-7.

4 – Cemin NF,  Schmit EFD, Candotti CT. Effects of the Pilates method on neck pain: a systematic review.  Fisioter. Mov., Curitiba, v.30, Suppl 1, 2017.

 

Escrito por:

Camilo Barbosa Junior Crefito3 150302-F
Professor de Cursos de Pilates e Ortopedia – Pilates Fisio Fitness, Fisioterapeuta Esportivo da HWT Sports, Especialista em Fisiologia do Exercício, Especialista em Reabilitação Aplicada ao Esporte (Unifesp), Especialista em Pilates, Pós-graduando em Formação Docente no Ensino Superior. Pilates e Entorse de Tornozelo

Contatos pessoais: 11 967811979 (whatsapp), Instagram e Facebook

Deseja realizar seu curso de Pilates Completo, acesse nosso site e saiba mais.

Site
Youtube

Facebook

Instagram