Menu fechado

Pilates Emagrece e Define o Corpo

Uma pergunta muito comum sobre pilates é: Pilates Emagrece e Define o Corpo? ou Pilates Emagrece? é possível emagrecer fazendo Pilates?

Há 10 anos eu respondo essa pergunta à alunos de Cursos de Pilates e Alunos praticantes e a resposta continua a mesma mas com alguns reforços e algumas explicações!

Portanto se você me perguntar, Pilates emagrece e define o corpo? minha resposta inicial será: DEPENDE!

Para entender vou mais a fundo e vamos falar sobre emagrecimento e o que necessita para o mesmo.

Para tal utilizamos artigo nacional e uma revisão sistemática com meta-análise para discorrer sobre emagrecimento e então você mesmo terá sua resposta sobre o Pilates no emagrecimento ou qualquer outra forma de atividade física. Isso mesmo, será capaz de responder sobre qualquer alternativa de exercício físico.

A obesidade é definida como o acúmulo de gordura corporal, resultando em excesso de peso. A maneira mais frequentemente utilizada para quantificar a obesidade é por meio do índice de massa corporal
(IMC).

Indivíduos com IMC acima de 25 kg/m² são classificados como portadores de sobrepeso e com IMC maior ou igual a 30 kg/m² são considerados obesos.

Dados nacionais apresentaram uma prevalência de 43% de sobrepeso e 16% de obesidade em mulheres de 15 a 49 anos de idade.

Dessa forma, o excesso de peso é um problema atual de saúde pública nas diversas populações, e a perda de peso tem sido uma preocupação comum na população em diferentes faixas etárias.

Nesse cenário, é atraente a ideia de perda ponderal rápida sem a adoção da estratégia de redução da ingestão de energia proveniente da dieta e aumento do gasto energético a partir de prática regular
de atividade física.

Neste sentido, foi crescente o surgimento de dietas populares para combater a obesidade ao longo das últimas três décadas.

O índice de qualidade da dieta por meio de um sistema de avaliação são de 12 componentes (nove grupos alimentares e conteúdo total de gordura saturada, sódio e energia provenientes de gordura sólida, bebidas alcoólicas e açúcares) de acordo com as recomendações dietoterápicas americanas.

Em relação ao aporte energético, os planejamentos alimentares propostos por várias dietas oferecem importante restrição energética diária, geralmente inferior a 1.200 kcal/dia.

Entretanto, essas dietas podem ser deficientes em micronutrientes, com efeitos desfavoráveis no estado
nutricional do paciente e também na redução da perda ponderal.

Uma revisão sistemática demonstrou que, em dietas para emagrecimento para adultos, a modificação nos componentes da dieta resultou em discreta perda ponderal, sendo a perda de peso geralmente consequente à restrição energética e não à modificação dos componentes da dieta.

A importância da restrição energética confirma dados já descritos por outros autores. Entre os ensaios
clínicos incluídos nesta revisão, a perda ponderal de pelo menos 5% do peso inicial foi obtida nas dietas
com algum tipo de restrição no total de energia ingerida ao longo do dia, independentemente da composição de macronutrientes.

Recentemente, um estudo demonstrou maior perda ponderal após dois anos de seguimento de dietas
restritas em carboidratos ou do tipo mediterrânea com restrição energética quando comparadas a uma dieta prudente também com restrição energética.

Benefícios cardiovasculares são atribuídos à dieta do tipo mediterrâneo com ingestão moderada de gorduras (rica em ácidos graxos monoinsaturados) (38,39), a qual também é apontada como alternativa para a promoção de perda de peso por ensaio clínico incluído na presente revisão.

É importante destacar que o seguimento de uma dieta do tipo mediterrânea pode representar uma prescrição não factível para indivíduos com menor poder aquisitivo ou ainda por diferenças marcadas nos alimentos recomendados em relação aos hábitos alimentares e culturais das populações.

Além disso, a influência de outros fatores ambientais, como o nível de atividade física dos indivíduos
residentes na região mediterrânea, são aspectos que também devem ser considerados.

Em dietas para emagrecimento, independentemente do tipo de dieta prescrita, há associação direta entre a aderência à dieta e a perda de peso associado ou não a uma atividade física.

Portanto vale esclarecer aos nossos pacientes e alunos que a pergunta: Pilates emagrece? a resposta é não, não emagrece! conforme mencionado acima, o fator primordial é a ingesta alimentar saudável, moderada.

Agora se o aluno realizar uma dieta controlada e praticar Pilates ele vai emagrecer? sim. Ele terá um emagrecimento mais saudável, além de perder medidas em peso corpóreo, terá enrijecimento muscular, proveniente de fortalecimento de músculos jamais trabalhados ou pouco acionados pelo teu aluno.

Portanto quanto você estiver dando aula de pilates e seu aluno referir que houve mudanças em seu manequim, saiba que essa restrição perimétrica se dá ao fato do fortalecimento e enrijecimento muscular proporcionando menores medidas, porém isso não está relacionado diretamente a perda de peso ou menor taxa de gordura corporal.

Gostou desse artigo? Acesse também outros artigos AQUI

Gostaria de convidá-lo (a) a conhecer nosso curso de Pilates na Prevenção e Reabilitação de Coluna e Ombro, onde tudo que aprendemos aqui e muito mais está presente SABER MAIS 

Nesse curso aliamos todo nosso conhecimento e expertise na reabilitação de atletas profissionais e amadores ao longo de 10 anos

     

Escrito por:

Camilo Barbosa Junior Crefito3 150302-F
Professor de Cursos de Pilates e Ortopedia – Pilates Fisio Fitness, Fisioterapeuta Esportivo da HWT Sports, Especialista em Fisiologia do Exercício, Especialista em Reabilitação Aplicada ao Esporte (Unifesp), Especialista em Pilates, Pós-graduando em Formação Docente no Ensino Superior. Pilates e Entorse de Tornozelo

Contatos pessoais: 11 967811979 (whatsapp), Instagram e Facebook

Deseja realizar seu curso de Pilates Completo, acesse nosso site e saiba mais.

Site
Youtube

Facebook

Instagram