Menu fechado

Lesão de LCA e Menisco no Esporte

Lesão de LCA e Menisco no Esporte

lesão de LCA e Menisco no esporte é bastante comum, muitas vezes essas lesões pode ser associadas ou isoladas.

Os meniscos desempenham um papel importante na homeostase do joelho, transmissão de carga, absorção de impacto, lubrificação, estabilidade articular e propriocepção. As lesões nos meniscos podem causar dor e incapacidade, bem como acelerar a progressão da osteoartrose do joelho.

A modalidade esportiva pode favorecer o tipo de lesão no joelho do atleta. Algumas modalidades apresentam maior prevalência de lesões do LCA, outras de lesões meniscais. Poucos estudos correlacionam lesão meniscoligamentar com o esporte praticado.

Lesões do ligamento cruzado anterior (LCA) são comuns em atividades esportivas em que o joelho faz movimento de rotação, como no futebol, basquete e esqui, e totalizam mais de 250.000 casos por ano.

um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) aponta lesões separadas e associadas em diversas modalidades esportivas no Brasil. O objetivo foi avaliar a prevalência de lesões do LCA e dos meniscos em uma população de atletas amadores e profissionais no Brasil, bem como relacionar tais lesões com o esporte praticado e as características dos atletas.

Número de Atletas Avaliados

Foram selecionados 240 pacientes com lesões meniscoligamentares do joelho desencadeadas por práticas esportivas, os quais foram avaliados e acompanhados individualmente. Dados dos pacientes e relacionados ao esporte praticado foram registrados na primeira avaliação clínica.

A modalidade esportiva envolvida no momento das lesões reflete o envolvimento do caráter cultural na predominância dos resultados. Observou-se que a média de idade do paciente com lesão meniscal é maior do que a do paciente com lesão ligamentar, em virtude de a primeira ser de caráter degenerativo e a segunda traumática.

Esporte mais Lesivo?

O esporte mais lesivo foi o futebol, em segundo lugar foi a corrida nas lesões ligamentares e meniscais isoladas e academia nas lesões associadas. O rendimento de todos os atletas diminuiu após as lesões, na escala de Tegner os grupos perderam uma média de 40-55% de seu rendimento esportivo.

Em um estudo de dez anos feito na Suíça, Majewski et al. encontraram resultados divergentes: o futebol predomina como principal modalidade (35%), porém a prática de esqui na neve surge como segunda modalidade (26%), o que é normal, visto que em tal país esse tipo de prática é muito comum.

Ao se relacionarem os resultados, nota-se que um importante fator de risco é o tempo de prática esportiva, o futebol dispara como principal causador de Lesão de LCA e menisco por ser, invariavelmente, o esporte mais popular nos países estudados.

Esportes de Impacto

A presença de esportes com impacto, trauma e movimentos rotacionais do joelho é característica inata para lesão de LCA e menisco.

A corrida foi a modalidade que mais apresentava tempo de prática para surgimento da lesão, o que era esperado, pois incita o surgimento de lesões de caráter degenerativo.

A prática de corrida amadora tem aumentado gradualmente nos últimos anos no Brasil e traz benefícios cardiovasculares para a população. Porém, a prática sem orientações de um profissional adequado e sem monitoramento pode aumentar as chances de lesões degenerativas no joelho.

Esses números devem aumentar, já que esse esporte tem se tornado cada vez mais frequente nas cidades brasileiras

O tempo de prática é um preditivo natural para lesões degenerativas por motivos óbvios, ainda mais se levarmos em conta o tipo de exercício praticado e suas variações de impacto e movimentos giratórios.

Porém a intensidade da prática é outro fator que deve ser levado em consideração tanto para as lesões agudas como as degenerativas.

A incidência de lesões no joelho por horas de prática é semelhante à encontrada na literatura para jogadores de futebol, tanto para homens como mulheres.

Em corredores, tanto a incidência de lesões como a intensidade dessas foram correlacionadas com o grau de treinamento, diretamente proporcional ao nível de prática.

O ciclismo apresentou aproximadamente metade do risco de lesão de LCA e Menisco a cada 1.000 horas de treino quando comparado com ao futebol e a academia e valores semelhantes aos corredores. Esses dados se mostram inéditos na literatura.

Retorno ao Esporte

O retorno para o mesmo nível de prática apresenta-se diminuído por vários motivos, que podem ser questionáveis. Primeiramente, é sabido que, principalmente em atletas profissionais, a volta ao esporte é orquestrada da maneira mais precoce possível. Estudos indicam que a força muscular do quadríceps e dos flexores encontra-se diminuída até mesmo um ano após a cirurgia.

Conclusão

A modalidade esportiva mais praticada foi o futebol e causou o maior número de lesões, independentemente do nível esportivo e tempo de prática.
As mulheres apresentaram maior risco de lesões de LCA e meniscos por 1.000 horas de treino/jogo. Corrida, voleibol e academia estão em ordem crescente de riscos de lesões meniscoligamentares. Quando avaliado o retorno ao esporte, o rendimento de todos os atletas foi prejudicado pela lesão.

O Pilates no esporte de alto rendimento ou esporte amador é um grande aliado no tratamento e principalmente no prevenção de lesões, principalmente pelo seu caráter único frente outras modalidades, promovendo reequilíbrio muscular, estabilização, alongamento e resistência muscular. Saiba mais sobre Pilates (LINK)

Bibliografia

1. Astur DC, Aleluia V, Veronese C, Astur N, Oliveira SG, Arliani GG, et al. A prospective double blinded randomized study of anterior cruciate ligament reconstruction with hamstrings tendon and spinal anesthesia with or without femoral nerve block. Knee. 2014;21(5):911–5.

2. Papalia R, Torre G, Vasta S, Zampogna B, Pedersen DR, Denaro V, et al. Bone bruises in anterior cruciate ligament injured knee and long-term outcomes. Are view of the evidence. Open Access J Sports Med. 2015;6:37–48.

3. Brito J, Soares J, Rebelo A. Prevention of Injuries of the anterior cruciate ligament in soccer players. Rev Bras Med Esporte. 2009;15(1):62–9.

4. Astur DC, Batista RF, Gustavo A, Cohen M. Trends in treatment of anterior cruciate ligament injuries of the knee in the public and private health care systems of Brazil. Sao Paulo Med J. 2013;131(4):257–63.

5. Ferretti A, Papandrea P, Conteduca F, Mariani PP. Knee ligament injuries in volleyball players. Am J Sports Med. 1992;20(2):203–7.

 

Escrito por:

Camilo Barbosa Junior Crefito3 150302-F
Professor de Cursos de Pilates e Ortopedia – Pilates Fisio Fitness, Fisioterapeuta Esportivo da HWT Sports, Especialista em Fisiologia do Exercício, Especialista em Reabilitação Aplicada ao Esporte (Unifesp), Especialista em Pilates, Pós-graduando em Formação Docente no Ensino Superior.

Contatos pessoais: 11 967811979 (whatsapp), Instagram e Facebook

Deseja realizar seu curso de Pilates Completo, acesse nosso site e saiba mais.

Site
Youtube

Facebook

Instagram